Barcos com imigrantes no Sudeste Asiático são deixados no mar, apesar de apelo da ONU

Tailândia, Malásia e Indonésia vão continuar expulsando de volta para o mar barcos que transportam milhares de imigrantes, disse um alto funcionário tailandês nesta quarta-feira, apesar de um apelo da ONU para a formação de uma rápida operação de resgate que evite uma crise humanitária.

AMY SAWITTA LEFEVRE E FRANSISKA NANGOY, REUTERS

13 de maio de 2015 | 08h32

Vários milhares de migrantes, muitos deles com fome e doentes, estão à deriva em mares do Sudeste Asiático em barcos que foram abandonados por contrabandistas depois de uma ação repressiva do governo tailandês contra o tráfico de seres humanos, disse a ONU.

"A Indonésia, Malásia e Tailândia decidiram não receber esses barcos com pessoas, pelo que estou sabendo”, declarou à Reuters o general Werachon Sukhondhapatipak, porta-voz da junta militar que governa a Tailândia.

O general se recusou a fazer comentários sobre o apelo feito na terça-feira pela agência de refugiados da ONU, o Acnur, de que seja  realizada uma operação internacional de busca e salvamento dos muitos barcos encalhados no mar entre a Tailândia, Malásia e Indonésia.

O Ministério do Interior da Malásia também não quis comentar o pedido da agência da ONU.

A questão será discutida em uma reunião de 15 países marcada para o dia 29 de maio em Bangcoc, disse Werachon.

Tudo o que sabemos sobre:
ASIAMIGRANTESONU*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.