Bashir se mantém intocável há 20 anos

O presidente sudanês, Omar al-Bashir, de 64 anos, chegou ao poder por meio de um golpe de Estado, em 1989, e, desde então, se mantém intocável, resistindo a conflitos internos, embargo do Ocidente e até a bombardeios americanos.À frente de um governo islâmico de linha-dura, Bashir flertou com a Al-Qaeda nos anos 90 e chegou a receber o saudita Osama bin Laden em seu território, em 1992. Em resposta, o governo americano impôs sanções contra o governo de Bashir e declarou o Sudão um Estado patrocinador do terrorismo internacional. Em 1996, Bin Laden foi expulso do país. Dois anos depois, os EUA bombardearam indústrias farmacêuticas suspeitas de fazerem parte da estrutura da Al-Qaeda.Casado com duas mulheres e sem filhos, Bashir cultiva a imagem de líder carismático. Frequentemente, o presidente é visto dançando com a multidão em festas populares, ou participando de funerais e casamentos, quando troca a farda de coronel do Exército por roupas informais.Apesar dos atritos na década de 90, Bashir passou a cooperar com Washington no combate a grupos terroristas, o que o tornou um colaborador valioso para a Casa Branca. A capacidade de atrair investimentos estrangeiros - principalmente da China - em meio às turbulências e conflitos também contribuíram para fortalecer o presidente nos últimos anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.