Batalha campal na marcha pela paz em São Francisco

A segunda marcha pela paz a reunir uma multidão nos EUA foi realizada ontem, domingo, em São Francisco, e gerou uma batalha campal entre os manifestantes e a polícia, provocando a detenção de dezenas de pessoas e danos milionários. Durante a marcha, falando das escadarias da Prefeitura, a famosa cantora Joan Baez declarou: "Temos a oportunidade de parar esta guerra". Ao mesmo tempo, milhares de manifestantes, líderes comunitários e personalidades do mundo artístico pediam para "não tocar no Iraque". A marcha reuniu 150.000 pessoas segundo a polícia, mas os organizadores disseram que 300.000 pacifistas participaram da concentração. Violentos choques entre manifestantes e a polícia culminaram na detenção de 40 pessoas, segundo as primeiras informações.De noite e até a madrugada desta segunda-feira, centenas de pessoas exigiam, diante do presídio do condado, a imediata libertação dos detidos. O maciço protesto contra a administração do presidente George W. Bush por sua intenção de atacar o Iraque se realizou um dia depois de outras marchas similares realizadas em outras cidades em todo o mundo.A diferença de data da marcha na cidade californiana - que não ocorreu no sábado, dia das grandes manifestações internacionais contra a guerra - foi motivada pelo Ano-Novo da comunidade chinesa, comemorado nas mesmas avenidas pelas quais deveria circular a manifestação pacifista. No domingo, os ativistas queimaram bandeiras dos EUA, quebraram vitrines de lojas no centro da cidade, ocuparam e paralisarm os famosos bondes de São Francisco e lançaram garrafas contra a polícia, que por sua vez usou gás lacrimogêneo contra os manifestantes.Os noticiários de televisão, por sua vez, divulgaram os resultados da última pesquisa sobre uma guerra sobre o Iraque: 66% expressaram que é necessário tirar Saddam Hussein do poder, mas 65% desse total acrecentaram que os EUA têm que atuar com seus aliados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.