Batalha danifica mesquita sagrada; xiitas juram vingança

Tanques americanos, disparando obuses e metralhadoras, fizeram sua incursão mais profunda na cidade sagrada xiita de Najaf, bastião do líder radical Muqtada al-Sadr. Aparentemente, os tiros causaram danos a um dos santuários mais sagrados da corrente xiita do islamismo, a mesquita do Imã Ali, provocando juras de vingança e ameaças de atentados suicidas. Hamid al-Bayati, porta-voz dos xiitas moderados representados no Conselho de Governo do Iraque, chamou os combates em Najaf, o mais importante centro de teologia xiita do mundo, de ?um grande erro? capaz de inflamar ódios religiosos. Pelo menos quatro iraquianos foram mortos e 26 feridos nas batalhas desta sexta-feira na cidade, segundo um representante do principal hospital local. Segundo ele, a maioria das vítimas é de civis. Pelo menos três milicianos ligados a Al-Sadr foram mortos, seus corpos levados à mesquita do Imã Ali para serem velados em meio a gritos de ?A América é o inimigo de Deus!?.Pelo menos quatro buracos, com mais de 20 centímetros de diâmetro, podiam ser vistos na cúpula dourada da mesquita, onde está sepultado o imã Ali Ibn Abu Talib, principal santo dos xiitas. Milicianos acusaram os americanos pelo dano, mas o comando americano culpou Al-Sadr. O general Mark Kimmitt acusou os combatentes leais a Al-Sadr de usar locais sagrados como ?escudos humanos?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.