Batalha naval faz ao menos 67 mortos no Sri Lanka

Pelo menos 17 marinheiros cingaleses e cerca de 50 rebeldes tâmeis morreram na batalha naval que começou na quinta-feira, quando a guerrilha tâmil atacou dois navios da Marinha, que respondeu com bombardeios, informou nesta sexta-feira um comunicado das Forças Armadas do Sri Lanka.Segundo a nota, 17 membros das Forças Navais, entre eles dois oficiais, morreram durante o ataque dos rebeldes Tigres de Libertação da Pátria Tâmil (LTTE). Os militares cingaleses mataram quase 50 inimigos na represália, no norte e leste da ilha.Após a agressão, a Missão de Supervisão da Trégua no Sri Lanka (SLMM) emitiu um comunicado denunciando o LTTE. Observadores lembraram que o grupo não tem direito a controlar o mar em torno da ilha, que faz parte do território sob administração do governo."Este comportamento só pode levar a uma perigosa escalada, resultando no aumento das hostilidades e pondo em risco as possibilidades de futuras negociações de paz", acrescenta a nota.Em resposta, o LTTE enviou na noite de quinta-feira um comunicado lembrando outro documento da própria SLMM, de 15 de abril de 2003.Segundo o grupo, "quando o acordo de cessar-fogo foi assinado, em 22 de fevereiro do 2002, os grupos de combatentes do LTTE, inclusive os Tigres do Mar (braço naval dos rebeldes), já existiam. Os Tigres do Mar existem como unidade naval de fato, e o equilíbrio de poder é um dos elementos básicos para o atual cessar-fogo"."Portanto, a fim de manter suas forças, ambas as partes têm direito de promover treinamentos e manobras", concluiu a nota.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.