Batalha ocorre na Síria mesmo com cessar-fogo

Mesmo com o cessar-fogo que começou nesta sexta-feira, primeiro dia de um feriado muçulmano, combates aconteceram perto de uma base militar no norte da Síria, afirmaram ativistas. No resto do país a violência efetivamente parece ter diminuído e milhares de manifestantes aproveitaram para realizar os maiores protestos contra o presidente Bashar Assad em meses.

AE, Agência Estado

26 de outubro de 2012 | 10h10

A trégua, proposta pelo enviado da ONU (Organização das Nações Unidas) e Liga Árabe para o conflito, Lakhdar Brahimi, deve durar apenas os quatro dias do feriado do Eid al-Adha e não tem mecanismos de monitoramento e nem planos para após o seu término.

O grupo radical islâmico Jabhat al-Nusra, que desde o início rejeitou o cessar-fogo, entrou em confronto com forças do regime pelo controle de uma base militar localizada em uma cidade estratégica, na estrada que leva para a cidade de Alepo, a mais populosa do país. Confrontos intensos têm acontecido na região nos últimos meses.

Segundo o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, que conta com uma rede de ativistas na Síria, três pessoas foram mortas em um subúrbio de Damasco e outras duas foram mortas por atiradores de elite.

O Observatório afirmou que manifestantes reuniram-se após as orações do Eid al-Adha em Alepo, na cidade de Hama, nos subúrbios de Damasco e na província de Deraa. Os protestos lembram as marchas que iniciaram a guerra civil, que com o tempo diminuíram por causa da brutal repressão do regime de Assad. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Síriacessar-fogoviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.