Batalhão alemão assume guarnição no leste da França

Pela primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), forças de combate da Alemanha estão estacionadas na França, como parte de uma iniciativa para demonstrar que as duas potências da União Europeia (UE) deixaram para trás os ódios do passado. Um batalhão alemão em uma brigada militar franco-alemã assumiu oficialmente hoje um posto de guarnição na França.

AE, Agência Estado

10 de dezembro de 2010 | 17h04

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, participaram da cerimônia. A brigada franco-alemã, com 6 mil soldados, foi criada em 1989, mas até 2010 nenhuma força alemã havia sido estacionada na França, ao contrário da presença de tropas francesas no país vizinho, um legado da ocupação nos pós-guerra da antiga Alemanha Ocidental.

Em um cúpula bilateral na cidade alemã de Friburgo, Merkel creditou a Sarkozy o mérito por receber as forças de combate da Alemanha. "Que possamos dizer hoje que soldados alemães são bem-vindos na França, depois dos crimes alemães cometidos pelo regime nazista, é um símbolo muito poderoso que mostra muito bem a nossa cooperação", disse a chanceler alemã. Sarkozy afirmou que a brigada "era considerada como uma instalação francesa na Alemanha" e disse que precisa haver mais equilíbrio entre "duas nações soberanas, duas nações pacíficas, dois países que são fundadores da Europa".

"Para todo o povo francês, a chegada de soldados alemães a nosso território é um novo sinal da profundidade da nossa amizade e o desejo de afiançar definitivamente a amizade dos povos francês e alemão", disse o mandatário da França. Os efetivos do batalhão de infantaria 291 da Alemanha começaram a ser transladados em abril para uma base francesa em Illkirch, perto de Estrasburgo, mas hoje os soldados foram autorizados a portar armas, disse o porta-voz do ministério da Defesa da França, Laurent Tesserie. Metade dos 600 soldados alemães já se instalou no quartel. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
FrançaAlemanhaguarnição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.