Bate-boca entre presidentes

Tensão entre Lima e La Paz vem à tona

AP, Tucumán, O Estadao de S.Paulo

02 de julho de 2008 | 00h00

Poderia ser um bate-boca entre vizinhos que não se suportam, mas os protagonistas eram chefes de Estado. "Meta-se em seu país e não se meta no meu. Tenha cuidado com as conseqüências do que você está fazendo", disse o presidente peruano, Alan García, ao colega boliviano, Evo Morales. "Ou seria preciso dizer como (o rei) Juan Carlos, da Espanha: por que você não se cala?" Durante a Reunião de Cúpula do Mercosul, em Tucumán, na Argentina, Evo, que recentemente chegou a chamar García de "gordo", respondeu com a mesma agressividade. "Qualquer presidente que mande as pessoas se calarem é antidemocrático", afirmou. "A soberba é um vício que não se deve copiar porque os tempos de colônia acabaram." A troca de insultos ocorreu um dia depois de o presidente peruano chamar para consultas seu embaixador em La Paz. No sábado, Evo acusou o Peru de ter aceitado a instalação de bases militares dos EUA, e convocou os peruanos a "expulsarem" os americanos de seu território. "São mentiras e manipulações grosseiras", afirmou García, pedindo ao boliviano para esclarecer quais seriam os fundamentos de suas denúncias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.