Bateria de mísseis enviados à Turquia está operacional

A primeira de seis baterias de mísseis Patriot enviados à Turquia para proteger o país contra ataques da Síria foi declarada operacional e colocada sobe o comando da Otan, disse a organização internacional.

EQUIPE AE, Agência Estado

26 de janeiro de 2013 | 16h42

A bateria, fornecida pela Holanda, é destinada a proteger a cidade de Adana de ataques de mísseis que poderiam ocorrer na fronteira com a Síria. A Turquia ser tornou um crítico duro do regime sírio, onde a guerra civil já deixou pelo menos 60 mil mortos.

Os Estados Unidos, a Alemanha e a Holanda estão fornecendo, cada, duas baterias da versão mais recente dos mísseis fabricados pelos EUA. As outras cinco baterias deverão entrar em operação nos próximos dias em Adana, Kahramanmaras e Gaziantep.

"Essa é uma clara demonstração da agilidade e flexibilidade das forças da Otan e de nosso desejo de defender aliados que enfrentam ameaças em um mundo instável, afirmou o almirante James Stavridis, comandante supremo das Forças Aliadas da Otan para a Europa, em um comunicado.

A Otan reiterou neste sábado que os mísseis têm apenas propósitos pacíficos. A Síria não disparou nenhum míssil na superfície na Turquia durante sua guerra civil de quase dois anos e seu governo descreveu o envio das baterias como uma provocação.

A Otan também enviou baterias de mísseis Patriot à Turquia durante a invasão do Iraque comandada pelos EUA há 10 anos. Eles nunca foram usados e foram retirados dos país alguns meses mais tarde. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Turquiamísseis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.