Batida busca falsificações em mercado turístico de Pequim

Local é conhecido pela venda de materiais esportivos falsificados

Efe

22 Julho 2007 | 17h02

As autoridades de Pequim ordenaram uma batida no Mercado da Seda, o mais popular entre os turistas estrangeiros que visitam a capital chinesa, e confiscaram mais de mil falsificações de conhecidas marcas esportivas, informou neste domingo a agência estatal Xinhua. Na operação deste sábado, a Polícia apreendeu 553 calçados da marca Nike, 408 da Adidas e 160 artigos de roupa esportiva de outros dois fabricantes, após inspecionar 11 postos do mercado.   Um responsável de indústria e comércio do bairro de Chaoyang, onde se encontra o conhecido mercado, disse que a Polícia atuou em dezenas de ocasiões no local, conseguindo reduzir a presença de falsificações, o que não impediu que estas continuem proliferando, especialmente nos fins-de-semana. O Mercado da Seda (Xiushui), no sudeste da cidade e muito perto da Embaixada dos Estados Unidos, tornou-se muito popular como centro de compras dos turistas desde os anos 80, com uma grande variedade de roupas, sapatos e assessórios falsificados.   Os postos de rua de antigamente foram fechados e levados a um grande edifício de seis andares em 2005, a fim de controlar melhor os artigos à venda e frear a proliferação de marcas falsificadas, algo que foi possível apenas parcialmente. Apesar das contínuas queixas de marcas multinacionais e Governos como os dos EUA e da União Européia (UE), a aquisição de marcas falsas continua sendo muito popuar no mercado, que tem entre seus clientes conhecidos políticos estrangeiros, desportistas e altos funcionários encarregados da defesa dos direitos autorais.

Mais conteúdo sobre:
Pirataria China

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.