Batistas dos EUA querem "libertar" os gays

A Convenção Batista do Sul dos EUA iniciou uma campanha para "libertar" os gays de sua homossexualidade, cativando-os e convencendo-os de que podem "aceitar Jesus como salvador". Em um encontro anual, líderes religiosos pediram para que os representantes das 42.000 igrejas batistas dos Estados Unidos tratem os gays com compaixão e expliquem a eles como o cristianismo pode salvá-los."Os homossexuais podem se libertar de seu estilo de vida pecaminoso e destrutivo", disse Richard Land, chefe do setor de políticas públicas da Igreja Batista do Sul. A reunião de hoje, último dia da convenção, realizada em Phoenix, contou com o testemunho de um pastor batista do Texas que afirmou que suas críticas estridentes contra os homossexuais os impediram de procurá-lo. Há vários grupos cristãos nos Estados Unidos que tentam convencer os gays de que podem optar pelo heterossexualismo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.