Battle acusa a esquerda uruguaia de ser "fascista"

O presidente uruguaio, Jorge Battle, acusou a oposição esquerdista de ter atitudes "fascistas" e, aomesmo tempo, apoiou o já por duas vezes presidente JulioSanguinetti como provável candidato de seu partido para aseleições do próximo ano. Em um duro ataque à esquerda concentrada na coalizãoEncontro Progressista Frente Ampla (EP-FA), Battle disse também,em um encontro de final de ano com dirigentes do governantePartido Colorado (PC), que o programa da coalizão esquerdista"não é um sentimento progressista, é um sentimento absolutamenteregressivo, arcaico". Battle está impedido pela Constituição de ser candidatonas eleições presidenciais de outubro de 2004, nas quais a EP-FAaparece como clara favorita, segundo todas as pesquisas. De modo especial, Battle criticou uma declaração daEP-FA contrária à reforma do ensino público promovida a partirde 1995 e na qual a coalizão afirma que as pessoas de qualquerpartido que tenham colaborado com esse plano não serão indicadaspara nenhum cargo governamental caso a esquerda obtenha apresidência. Esta "censura às pessoas é um sentimento fascista",afirmou Battle. A EP-FA indicou o veterano candidato Tabaré Vásquez comoprovável candidato da frente à presidência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.