BBC criticada por abandonar programa sobre abuso sexual

Apuração sobre conduta do Newsnight não encontra, porém, indícios de pressão para proteger apresentador Jimmy Savile.

BBC Brasil, BBC

19 de dezembro de 2012 | 11h42

A BBC foi criticada nesta quarta-feira por um de seus principais programas jornalísticos, o Newsnight, ter engavetado uma edição a respeito de Jimmy Savile, ex-apresentador da emissora suspeito de abusos sexuais e pedofilia.

A crítica foi feita na conclusão de uma investigação interna sobre a conduta da emissora no caso Savile, morto no ano passado. A investigação, porém, não encontrou indícios de que a BBC tenha tentado acobertar o caso Savile.

Segundo o relatório, o engavetamento do Newsnight não ocorreu para proteger a imagem de Savile ou os programas de homenagem a ele que foram ao ar na BBC no final do ano passado.

"A decisão de abandonar a investigação original (do Newsnight a respeito das denúncias contra Savile) foi falha e tomada de maneira equivocada, mas acredito que foi tomada em boa-fé", declarou Nick Pollard, ex-chefe da emissora Sky News e responsável pelo relatório investigativo - batizado de Relatório Pollard.

"Não foi tomada para proteger os programas de homenagem a Savile ou por qualquer outra razão imprópria."

O caso Savile

Jimmy Savile é um ex-apresentador e DJ que foi uma lenda da TV britânica entre os anos 1960 e 80.

No ano passado, o Newsnight investigou durante seis semanas denúncias de que Savile teria cometido diversos abusos, ao longo de cinco décadas, inclusive contra menores de idade, mas o programa acabou não indo ao ar.

Em outubro deste ano, a emissora concorrente ITV levou ao ar sua própria investigação a respeito de Savile, o que despertou uma onda de novas acusações contra o apresentador. Ao mesmo tempo, isso levantou questionamentos a respeito de por que o Newsnight engavetou sua apuração.

A direção do programa alegou que a decisão de engavetar fora tomada por motivos editoriais.

Diversos inquéritos foram abertos, dentro e fora da BBC. O editor do Newsnight, Peter Rippon, afastou-se de seu cargo em 22 de outubro, aguardando a conclusão apresentada nesta quarta-feira por Pollard.

A direção da BBC informou nesta quarta que Rippon será substituído no comando do Newsnight e possivelmente alocado para novas funções.

Helen Boaden, diretora da BBC News, que também se afastou durante as investigações, retomará seu posto nesta quinta. E o vice-diretor de notícias Stephen Mitchell deixará a BBC no ano que vem.

'Falhas claras'

O diretor-geral em exercício da BBC, Tim Davie, se disse satisfeito com o fato de "a investigação não ter encontrado qualquer indício de pressão imprópria para impedir a veiculação do Newsnight ou para proteger programas dedicados a Jimmy Savile".

Mas ressaltou, em um e-mail enviado a todos os funcionários da BBC, que "o relatório aponta falhas claras em nosso sistema, da forma como trabalhamos juntos e como tomamos decisões".

O Newsnight também é alvo de outro relatório, da BBC Trust (órgão que governa a emissora), por outra edição, que foi ao ar em 2 de novembro e que abordava denúncias de abusos sexuais contra crianças no País de Gales. O programa não citou suspeitos, mas informações divulgadas levaram a especulações de que um ex-parlamentar britânico, Lord McAlpine, seria o responsável pelos abusos.

O programa posteriormente se retratou com McAlpine, e a BBC pagou 185 mil libras ao ex-parlamentar por difamação. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.