BBC investiga violência em Benghazi

Imagens de manifestantes mostraram ataques contra civis; filho de Muamar Khadafi afirma que rebeldes tinham armas.

BBC Brasil, BBC

21 de março de 2011 | 18h48

O repórter da BBC Paul Kenyon investigou na Líbia denúncias de que forças ligadas ao líder Muamar Khadafi abriram fogo contra manifestantes desarmados de oposição logo nos primeiros dias dos confrontos no país, no mês passado.

Em Benghazi, o principal bastião dos rebeldes, no leste do país, Kenyon conversou com dois manifestantes que descreveram um ataque de forças pró-Khadafi e conseguiram imagens perturbadoras da violência.

Os manifestantes fizeram imagens do ataque

Depois, o repórter da BBC entrevistou o filho de Muamar Khadafi, Saadi Khadafi, acusado de ter autorizado os disparos contra os manifestantes.

Saadi, comandante responsável por Benghazi, negou que tenha ordenado os tiros e contou que os rebeldes queriam matar os soldados, então os militares "tiveram que se defender".

O Tribunal Penal Internacional está investigando alegações de crimes contra a humanidade que foram cometidos no país.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.