BC alemão diz que não haverá concessões para Grécia

O presidente do Banco Central da Alemanha, Jens Weidmann, disse neste domingo que a Grécia não deve esperar que seus credores internacionais façam concessões ao país em seu programa de reformas e em suas medidas de austeridade, porque isso criaria um perigoso precedente. Weidmann afirmou que o governo grego que emergir das eleições da próxima semana deve cumprir as obrigações comprometidas em troca dos dois pacotes de socorro, ou não terá mais assistência do bloco europeu.

EDUARDO MAGOSSI, Agência Estado

10 de junho de 2012 | 15h13

Segundo ele, a ajuda não pode ser dada sem que as condições acordadas sejam cumpridas, porque o não cumprimento iria ameaçar a credibilidade de todos os outros programas, como os pacotes dados a Portugal e Irlanda.

A eleição na Grécia de 17 de junho pode forçar o país a sair da zona do euro, caso os partidos que não apoiam o acordo de ajuda vençam e rejeitem os acordos já feitos. As informação são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.