BC da Tunísia nega que clã Ben Ali tenha levado ouro

O Banco Central (BC) da Tunísia negou hoje que parentes do líder deposto do país, Zine El Abidine Ben Ali, tenham fugido do país com 1,5 tonelada de ouro. O valor do material seria de US$ 65 milhões no mercado a preços de hoje.

AE, Agência Estado

17 de janeiro de 2011 | 14h43

O jornal francês Le Monde informou que o escritório do presidente Nicolas Sarkozy recebeu informações da inteligência francesa segundo as quais Leila Trabelsi, a segunda mulher de Ben Ali, retirou o ouro do BC tunisiano na semana passada. A administração do banco teria resistido inicialmente ao pedido, mas cedeu posteriormente sob pressão do próprio Ben Ali, segundo o diário.

Hoje, um funcionário do banco disse em Túnis à agência de notícias France Presse: "As reservas em ouro do Banco Central da Tunísia não foram tocadas nos últimos dias". Segundo a fonte, que pediu anonimato, as reservas em dinheiro também seguem intactas. "O país tem regulações muito estritas", afirmou.

Ben Ali e Leila fugiram da Tunísia, pressionados por uma onda sem precedentes de protestos nas ruas. A população acusava a família do ditador de saquear os recursos públicos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Tunísiaouroclã Ben Ali

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.