BCE não tem planos de ajudar Grécia a pagar empréstimos ao FMI, diz Weidmann

O Banco Central Europeu (BCE) não tem planos de intervir para ajudar o governo da Grécia caso Atenas não cumpra o prazo para o pagamento de empréstimos ao Fundo Monetário Internacional (FMI) no fim deste mês, afirmou o presidente do Banco Central da Alemanha (Bundesbank), Jens Weidmann, em entrevista publicada hoje pelo jornal francês Les Echos.

Estadão Conteúdo

18 de junho de 2015 | 05h09

A Grécia tem 1,5 bilhão de euros (US$ 1,7 bilhão) em dívidas a saldar com o FMI no próximo dia 30.

"Não é dever do Banco Central Europeu e financiamento de Estados é até mesmo proibido", disse Weidmann à publicação francesa. "A bola está no campo do governo grego", acrescentou.

Segundo Weidmann, "os últimos dias mostraram que não há muito tempo restante" para a Grécia fechar um acordo de ajuda com seus credores internacionais.

Weidmann comentou ainda que a existência da zona do euro não depende das negociações entre Atenas e seus credores, mas não descartou a ocorrência de eventuais problemas nos países do bloco, embora a situação de nações que enfrentaram dificuldades no passado, como Itália e Espanha, seja "muito diferente" hoje.

Para o chefe do Bundesbank, as repercussões mais severas de um eventual fracasso nas conversas serão para a própria Grécia. Uma eventual moratória de Atenas, disse ele, levará a consequências "difíceis de manter sob controle" para o governo grego. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
GréciacriseWeidmann

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.