Bebê é encontrado no lixo

Nos nove meses desde que nasceu, Fátima Jbouri primeiro perdeu seu pai, depois atiradores mataram sua mãe e ela foi abandonada, escondida numa pilha de lixo no distrito de Saydia, que se tornou a pior área de violência sectária de Bagdá. Em 25 de julho, um grupo de homens armados matou sua mãe e tio, cada um com três tiros na cabeça. O irmão de 7 anos de Fátima fugiu e pediu ajuda a uma patrulha conjunta da polícia iraquiana e de soldados americanos. Os iraquianos encontraram os corpos e recolheram os outros irmãos de Fátima que estavam nas casas de vizinhos. Mas o menino de 7 anos continuava perguntando: "Onde está minha irmã?" Os policiais fizeram novas buscas e, no mesmo dia, encontraram o bebê escondido na pilha de lixo, sob uma chapa de metal e um calor escaldante. Fátima sobreviveu e foi levada ao hospital militar americano na Zona Verde de Bagdá. Segundo as enfermeiras, ela está abaixo do peso para um bebê de 9 meses, mas está se recuperando bem. Agora, Fátima tornou-se o centro das atenções e é adulada pelas enfermeiras e visitantes. Mas logo, ninguém sabe quando, ela será levada para o orfanato onde estão seus cinco irmãos. Vários pedidos de adoção foram feitos à embaixada americana, mas as autoridades não sabem como agir, já que as leis iraquianas não permitem adoções. A questão que ficará sem resposta é se a mãe de Fátima a escondeu para protegê-la ou se os assassinos a deixaram lá, esperando que morresse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.