Beira-Mar chega a Brasília nesta quarta

Está prevista para esta quarta-feira a chegada a Brasília do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, preso sábado na Colômbia. A deportação do traficante foi determinada no início da noite desta terça-feira pelo procurador-geral da República, Alfonso Gomez Mendez, interrompendo o interrogatório conduzido pelo promotor Romero Muñoz desde domingo. Beira-Mar seria transportado num avião da Força Aérea Brasileira (FAB) que estava aguardando em Tabatinga (AM) desde domingo. Seguiu no avião para Bogotá o diretor-geral da Delegacia de Repressão a Entorpecentes da Polícia Federal de Brasília, delegado Getúlio Bezerra. Outros dois delegados já estavam na Colômbia, encarregados de escoltar o traficante: o superintendente da PF no Amazonas, Mauro Spósito, e o adido da PF em Bogotá, César Nunes. A hipótese de deportação já se desenhava na manhã desta terça-feira, quando o procurador-geral a defendeu. "Em geral, se uma pessoa tem uma condenação em um País, e somente processos em outro, o ideal é que essa pessoa cumpra a pena no país onde foi condenado", disse Mendez. "Isso seria melhor do que responder a um processo incerto no país em que foi preso." Beira-Mar passou boa parte do dia depondo na sede da procuradoria. O interrogatório começou às 9 horas (11 horas de Brasília). Antes de falar, Beira-Mar foi examinado por um médico-legista. Ao ser preso, ele estava com o braço direito engessado e sem dois dedos da mão direita. Informações extra-oficiais davam conta, em Bogotá, de que o secretário da Segurança do Rio, Josias Quintal, teria fechado um acordo com Jaqueline Alcântara de Moraes, uma das amantes de Beira-Mar, para que ela se entregasse às autoridades colombianas.O acordo, segundo assessores de Quintal, estaria sendo intermediado por Beira-Mar, com quem o secretário se encontrou nesta segunda-feira. Jaqueline, condenada a 4 anos de prisão no Brasil, foi detida em 18 de fevereiro, durante uma operação do Exército Colombiano na região de Barrancomina, a 600 quilômetros de Bogotá.Solta por falta de provas, a amante de Beira-Mar estava com mais seis brasileiros, entre eles Ney Machado, o Pitoco, maior traficante de drogas do Rio Grande do Sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.