Bélgica celebra nascimento de princesa

A Bélgica celebrou nesta sexta-feira o nascimento de um bebê - a princesa Elisabeth - que poderá reinar no país após uma nova lei garantir às mulheres direitos iguais ao trono. A princesa Mathilde, casada com Philippe, o príncipe herdeiro, deu à luz o primeiro filho do casal em uma operação cesariana realizada no Hospital Erasmus, de Bruxelas. A pequena princesa, que recebeu o nome de Elisabeth Therèse Marie Helène, é a segunda na linha de sucessão ao trono ocupado pelo rei Alberto II. "Este é um grande dia para a Bélgica", disse com orgulho o príncipe Philippe, que assistiu ao nascimento. "Estamos muito felizes com nossa filha... ela é muito bonita". Mathilde e o bebê ficaram descansando hoje, disse a doutora Genevive Naome, que atendeu ao parto. O nascimento da princesa ocorreu duas semanas antes do esperado e não foi fácil. A equipe disse que o cordão umbilical havia dado duas voltas em torno do pescoço do bebê. A cesárea foi feita para evitar a morte da criança, mas o bebê não sofreu nenhum risco durante a operação, disse a médica. O nascimento da princesa foi o primeiro de uma mulher com direito ao trono da Bélgica. Desde que o país se separou da Holanda em 1830, seis varões se sucederam como monarcas - uma herança da legislação garantindo que os descendentes masculinos tinham preferência na sucessão ao trono. Essa lei sofreu uma emenda em 1991 - o que significa que Elisabeth poderá ser a sucessora de seu pai no trono real. O nascimento da princesinha foi comemorado com grande entusiasmo em todo o país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.