Hannah McKay / Reuters
Hannah McKay / Reuters

Bélgica condena vietnamita a 15 anos de prisão pela morte de 39 migrantes em caminhão

O caso chocou o mundo em 2019, quando os corpos foram encontrados dentro de um caminhão frigorífico abandonado no Reino Unido

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de janeiro de 2022 | 13h06

BRUXELAS  - Um tribunal criminal da cidade belga de Bruges condenou um vietnamita a 15 anos de prisão, nesta quarta-feira, 19, por seu papel no caso dos 39 imigrantes encontrados mortos por asfixia em um caminhão frigorífico na Inglaterra.

Vo Van Hong, de 45 anos, foi considerado o líder de uma organização de tráfico de seres humanos que operava em Bruxelas. O presidente do tribunal destacou que Hong dirigia "uma organização criminosa" em território belga, e permitiu o trânsito clandestino de 115 pessoas para o Reino Unido entre setembro de 2018 e maio de 2020, data em que foi preso. 

Hong também foi punido com uma multa de um milhão de euros (mais de R$ 6 milhões).

O caso chocou o mundo em 23 de outubro de 2019, quando os 39 corpos foram encontrados dentro do caminhão frigorífico na região industrial de Grays, no leste de Londres. 

As vítimas, 31 homens e oito mulheres com idades entre 15 e 44 anos, eram todas do Vietnã. Elas morreram por asfixia e hipertermia, devido ao calor e à falta de oxigênio no espaço confinado do contêiner. O caminhão havia chegado à Inglaterra procedente do porto belga de Zeebrugge.

A investigação estabeleceu que pelo menos 15 de seus 39 ocupantes haviam sido embarcados da Bélgica em 22 de outubro, antes de um desvio para Bierne, norte da França, onde o grupo se escondeu na parte frigorífica.

A rede tinha dois esconderijos no município de Anderlecht, em Bruxelas. Nestes locais, reuniam-se as pessoas que desejavam realizar a travessia clandestina para o Reino Unido e que antes transitavam pela Alemanha, ou pela Holanda.

Segundo a acusação, esta rede teria organizado "pelo menos 130 transportes" do Sudeste Asiático para a Inglaterra. Cada pessoa pagava em média 24.000 euros (pouco mais de R$ 150.000).

Além de Van Hong, a Justiça belga processou outros 22 acusados - a maioria vietnamitas, ou belgas de origem vietnamita -, para os quais a Promotoria pediu sentenças que variam de 12 meses a dez anos de prisão.

França, Reino Unido e Vietnã também abriram processos judiciais por este caso. No Reino Unido, sete homens já foram condenados em janeiro de 2021 a penas que variam de três a 27 anos de prisão. No Vietnã, quatro homens foram condenados em setembro de 2020 a penas que variam de dois anos e meio a sete anos e meio de prisão. 

Enquanto isso, na França, pelo menos 26 pessoas foram acusadas na investigação aberta em Paris em maio de 2020. 

De acordo com as autoridades britânicas, o Vietnã é uma das principais fontes de migrantes que foram traficados para o país, muitas vezes para trabalhar em salões de beleza ou fábricas, onde enfrentam abuso e exploração. Os contrabandistas vietnamitas geralmente transportam seus clientes do Vietnã através da China para a França ou Holanda, onde outras gangues assumem o controle e levam os migrantes para a Grã-Bretanha.

Uma das vítimas, Pham Thi Tra My, de 26 anos, que queria trabalhar como manicure em Londres, enviou uma mensagem para sua mãe horas antes dos corpos serem encontrados. “Mãe, eu amo muito você e papai! Estou morrendo porque não consigo respirar”, escreveu ela./AFP e NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.