Aris Oikonomou/EFE
Aris Oikonomou/EFE

Bélgica fecha fronteiras para turistas do Brasil, Índia e África do Sul

O Ministério do Interior publicará um decreto "o mais rápido possível" para colocar a medida em vigor, segundo o anúncio feito nesta terça durante reunião do Comitê Consultivo do país

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2021 | 09h02

BRUXELAS - O primeiro-ministro da Bélgica, Alexander de Croo, anunciou nesta terça-feira, 27, que vai vetar, temporariamente, a entrada de turistas provenientes de Brasil, Índia e África do Sul em território belga, como medida para conter a propagação de variantes locais da covid-19

A medida, que acompanha decisões de outros países, como o Reino Unido, ocorre após a Bélgica detectar ao menos 20 casos da variante indiana em um grupo de alunos que viajou de avião da Índia para Paris e de lá de ônibus para Bélgica, o que contribui para pelo menos outros sete casos registrados em diferentes partes do país, segundo a EFE.

A ministra do Interior, Annelies Verlinden, publicará um decreto ministerial para colocar a medida em vigor o mais rápido possível, afirma o anúncio, que foi feito nesta manhã, em uma reunião eletrônica do Comitê Consultivo.

Em princípio, segundo a AFP, a medida não se aplicará a diplomatas e membros de organizações internacionais que precisam viajar com urgência, acrescentou o gabinete do primeiro-ministro em comunicado.

O comitê de autoridades belgas encarregado das medidas contra o coronavírus, reunido virtualmente, decidiu proibir o transporte de passageiros desses três países em avião, trem, barco e ônibus, inclusive quando estão apenas em trânsito no país.

De acordo com o jornal The Brussels Times, apenas "um número muito limitado de viagens essenciais" ainda será permitido. Entre elas, estão: viagens profissionais de equipes de transporte e marítimos, viagens de diplomatas, funcionários de organizações internacionais e pessoas convidadas por organizações internacionais cuja presença física seja indispensável ao bom funcionamento dessas organizações, no desempenho das suas funções.

Nestes casos, deve ser apresentado um atestado oficial para comprovar que a viagem é imprescindível.

Além disso, as exceções às regras de teste e quarentena não se aplicam mais para residentes não belgas que viajam da Índia para a Bélgica e permaneçam por menos de 48 horas, ou para residentes belgas que retornam à Bélgica após uma estadia de menos de 48 horas no país asiático.

As mesmas regras já se aplicam à América do Sul, África do Sul e Reino Unido. /AFP e EFE.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.