Bélgica nega pedido de eutanásia a estuprador

O homem tinha pedido à Justiça autorização para o procedimento, mas as autoridades anunciaram que o transferirá para um centro psiquiátrico

O Estado de S. Paulo

06 de janeiro de 2015 | 20h15

BRUXELAS -  Frank Van den Bleeken, preso há quase 30 anos por diversos crimes de estupro e abuso sexual, não poderá submeter-se à eutanásia que aconteceria no domingo no presídio da cidade de Bruges (oeste), informou nesta terça-feira, 6, o governo federal belga.

O homem, de 51 anos, tinha pedido à Justiça autorização para o procedimento, autorizado no país, e tinha fechado um acordo com o Ministério da Justiça, mas este anunciou que o transferirá a um centro psiquiátrico na cidade de Gent. Há anos, Van den Bleeken é tratado por psiquiatras, que concordam que está ele é psiquicamente doente e sofre gravemente por sua detenção. O preso é igualmente consciente que, sem um tratamento adaptado às suas necessidades, continuará sendo um risco para a sociedade, informou a imprensa belga.

Em setembro, o tribunal de apelação de Bruxelas tomou ata do acordo fechado entre Van den Bleeken e o Ministério Público, o que atraiu grande atenção da mídia para o caso. Após o seu pedido, qualificado então de "inédito" pela imprensa local, pelo menos outros 15 presos seguiram seu exemplo e pediram a eutanásia à Justiça. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
BélgicaeutanásiaestupradorBleeken

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.