TV Estadão | 28.07.2015
TV Estadão | 28.07.2015

Bélgica registrará apenas 250 solicitações de asilo por dia

Para secretário, seria insustentável e irresponsável registrar mais pessoas além do limite estabelecido

O Estado de S. Paulo

02 Setembro 2015 | 10h14

BRUXELAS - A Bélgica não registrará mais de 250 solicitações de asilo por dia, apesar das longas filas de solicitantes formadas em frente ao Escritório de Estrangeiros de Bruxelas, disse nesta quarta-feira, 2, o secretário de Estado de Migração e Asilo belga, Theo Francken.

"Não superaremos as 250 solicitações por dia, isso seria insustentável e irresponsável" declarou Francken em um programa de rádio citado pela agência de notícias Belga.

"Estivemos registrando entre 4.000 e 5.000 solicitações ao mês, isso é algo irreal", comentou Francken, ao acrescentar que se trata de uma questão de "limites" de sua capacidade para receber e criar novas vagas.

O secretário se negou a estabelecer um processo mais básico para agilizar a tramitação das solicitações por considerar que "o registro, a identificação e a tomada de impressões digitais devem ser feitos corretamente".

Além disso, voltou a criticar países da União Europeia como Polônia, Espanha e República Tcheca, que acolhem poucos refugiados. "Sempre são os primeiros a pedir solidariedade, mas agora somos nós os que enfrentamos problemas", lamentou.

Francken ainda exigiu a criação de um fundo europeu de urgência para apoiar o orçamento federal belga. A delegada europeia de Assuntos Sociais, Marianne Thyssen, reagiu imediatamente e lembrou que o orçamento plurianual da UE inclui os recursos para este fim, segundo a agência Belga.

Ao ser perguntado sobre a proposta do presidente de seu partido, Bart De Wever, de reduzir os direitos dos refugiados criando uma condição especial, Francken reconheceu que isto seria ilegal aos olhos da União Europeia, mas que "ainda se pode falar disso". /EFE

Mais conteúdo sobre:
imigração crise.Bélgica Europa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.