Bélgica também poderá aprovar a eutanásia

A Bélgica deverá, em breve, seguir o exemplo da Holanda e legalizar a eutanásia, embora com certas modificações em relação à lei sancionada terça-feira em Haia. As Comissões de Justiça e de Assuntos Sociais do Senado adotaram uma proposta de lei apresentada dia 20 de março. A medida, agora em análise no Conselho de Estado, poderá se transformar em lei já nos primeiros meses de 2002.O debate sobre a legalização da chamada "morte suave" foi iniciado pela nova coalizão de governo, formada por liberais, socialistas e ecologistas que, em 1999, derrotaram o Partido Social Cristão.A proposta belga, pelo menos em sua formação atual, é mais restrita que a holandesa. Na Bélgica, por exemplo, a eutanásia poderia ser posta em prática apenas no caso de pacientes maiores de idade, enquanto que na Holanda ela vale também para menores entre 12 e 16 anos - mediante a autorização dos pais.Segundo uma pesquisa de opinião recentemente publicada pelo jornal Libre Belgique, 72% dos belgas apoiam a proposta de legalização da eutanásia. Diante deste número, a associação médica Vlamms Hiusartsenparlement (VHP) conclamou a população a uma reflexão mais profunda sobre o tema. "Com esta proposta, tememos que a eutanásia acabe sendo praticada com o objetivo de liberar leitos nos hospitais", afirmou a VHP.Muito antes da aprovação da lei holandesa, o debate sobre a eutanásia já havia se iniciado na Bélgica. A polêmica começou em conseqüência do caso de um enfermeiro de 30 anos, em serviço num hospital de Tournai, detido sob acusação de ter assassinado pelo menos quatro doentes terminais com uma injeção, sem que os familiares das vítimas tivessem sido informados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.