Benazir Bhutto está em prisão domiciliar no Paquistão

Medida foi tomada horas antes da manifestação convocada pelo partido da ex-primeira-ministra contra estado de exceção

Efe,

09 de novembro de 2007 | 04h15

A ex-primeira-ministra paquistanesa Benazir Bhutto, líder do Partido Popular, de oposição, está confinada na sua casa em Islamabad, a algumas horas do grande protesto convocado por seu partido contra o estado de exceção declarado pelo presidente, Pervez Musharraf.Segundo uma fonte das forças de segurança consultada pela Efe, Bhutto não pode sair de sua casa. Mas oficialmente não há uma ordem de detenção contra ela.Uma fonte governamental citada pelo canal Geo TV tinha anunciado que a líder do Partido Popular do Paquistão (PPP) tinha sido posta sob prisão domiciliar.O PPP havia convocado uma grande passeata para a manhã desta sexta-feira, 9, em Rawalpindi, cidade próxima à capital. A própria Bhutto lideraria a manifestação, para protestar contra o estado de exceção.As autoridades negaram a permissão para o protesto, com base no estado de exceção que vigora desde sábado.Um advogado do PPP, Raja Javed Ashraf, disse à Geo TV que cerca de 5 mil militantes do partido foram detidos pelas autoridades. "É uma ação repressiva contra nós", denunciou.Sob pressão internacional, Musharraf anunciou ontem eleições legislativas no dia 15 de fevereiro e prometeu deixar o uniforme militar antes de tomar posse de seu novo mandato presidencial.No entanto, Bhutto considerou o anúncio insuficiente e exigiu que o general deixe o comando do Exército no prazo de uma semana.

Tudo o que sabemos sobre:
Benazir BhuttoPaquistãoMusharraf

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.