GALI TIBBON / AFP
GALI TIBBON / AFP

Benny Gantz, adversário de Netanyahu, reconhece derrota nas eleições em Israel

Segundo resultado parcial, coalizão do ex-general israelense deve ter 55 deputados contra 65 do grupo liderado pelo atual premiê Binyamin Netanyahu; número 2 da lista centrista Azul e Branco diz que votação mostrou 'oportunidade de mudança'

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de abril de 2019 | 14h49

TEL-AVIV - Benny Gantz, adversário do primeiro-ministro Binyamin Netanyahu nas eleições legislativas de Israel, reconheceu nesta quarta-feira, 10, a sua derrota durante entrevista em Jerusalém. Na noite de terça, após a votação, ele havia se declarado vencedor.

"Nós respeitamos a decisão do povo", afirmou o líder da lista centrista Azul e Branco, que esperava poder formar uma coalizão e substituir Netanyahu. Segundo os primeiros resultados da votação, Netanyahu tem o apoio de 65 deputados contra 55 de Gantz.

Cercado por seus parceiros na lista, o ex-general declarou-se convencido de que seu projeto era "uma alternativa ao poder" e insistiu que o Azul e Branco apresenta um "uma nova linguagem e uma nova unidade" para a fragmentada sociedade de Israel. Ele também afirmou que Netanyahu venceu ao receber "votos dos extremistas".

O número 2 da coalizão, Yair Lapid, também admitiu a derrota, mas se mostrou otimista por ver "uma oportunidade de mudança". "Vamos transformar o Parlamento em um lugar melhor", disse Lapid, que também declarou que seu grupo político tem DNA de um partido governante e está disposto a "amargar a vida ao governo de Netanyahu".

Também nesta quarta, mesmo sem resultados finais, o presidente dos EUA, Donald Trump, parabenizou Netanyahu - seu aliado na região - pelo resultado da votação. / AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.