Bento 16 faz 83 anos e recebe apoio em meio a crise na igreja

Papa recebeu mensagens do governo italiano, mas não comemorou data.

Assimina Vlahou, BBC

16 de abril de 2010 | 18h24

No aniversário de 83 anos, comemorado nesta sexta-feira, o papa Bento 16 recebeu total apoio do governo italiano, que definiu como "inqualificáveis" os ataques que ele tem recebido por causa dos abusos sexuais cometidos por sacerdotes católicos.

"O conselho de ministros deseja feliz aniversário ao pontífice Bento 16, confirmando a solidariedade do Governo pelas inqualificáveis campanhas difamatórias contra a Igreja e o papa", diz o comunicado oficial, divulgado pelo governo do premiê Silvio Berlusconi.

O jornal da Conferência Episcopal italiana, ao recordar o aniversário de Bento 16, disse que o papa "está acostumado aos ataques por causa de sua fé".

Além dessas homenagens, o papa recebeu mensagens do mundo todo pelo seu aniversário.

Ao encontrar os membros de uma organização beneficente vinda dos Estados Unidos, no Vaticano, nesta sexta feira, o papa disse que "o mal nunca tem a última palavra" e pediu orações.

"Nestes dias, vos peço que orem pelas necessidades da Igreja", disse o papa.

O aniversário do pontífice acontece em meio a uma crise na Igreja Católica causada pelas recentes revelações de abusos sexuais por sacerdotes.

Bento 16 está sendo especialmente criticado pelas ações que tomou enquanto ainda era o cardeal Joseph Ratzinger. Recentemente, a imprensa internacional publicou documentos que mostrariam que ele teria ignorado denúncias contra um religioso que molestou 200 jovens e ainda teria resistido à ideia de destituir das funções sacerdotais outro padre também acusado de abuso.

O Vaticano tem tentado minimizar a crise, acusando a imprensa de exagerar o problema.

Sem celebração

Não foram marcadas celebrações para comemorar o aniversário do papa, que viaja para Malta neste sábado, em visita oficial.

As celebrações devem ocorrer na segunda-feira, quando o pontificado de Bento 16 completará cinco anos.

Para marcar a data, está programado um almoço com os cardeais da Cúria Romana.

Joseph Ratzinger foi eleito sucessor de João Paulo 2° no dia 19 de abril de 2005.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.