Bento 16 já falava em sucessor, diz arcebispo do RJ

Dom Orani João Tempesta afirmou que em conversas privadas, papa falava sobre envio de outro a evento no Rio em julho.

BBC Brasil, BBC

11 de fevereiro de 2013 | 19h56

O arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani João Tempesta, afirmou em uma coletiva que, em conversas particulares, o papa Bento 16 já afirmava que ele ou um sucessor iria comparecer à Jornada Mundial da Juventude, que deve ocorrer em julho na capital fluminense.

"Ele já se referia à visita com ele ou um sucessor. Mas ele falava em particular, publicamente ele nunca disse", afirmou o arcebispo.

Dom Orani afirmou que não ouviu a declaração de Bento 16 sozinho. Segundo o arcebispo, ela foi dada em uma reunião em que estavam "todos os bispos juntos".

Ele também garantiu que todos os trabalhos e preparativos para a Jornada Mundial da Juventude estão mantidos, independente do anúncio da renúncia do papa.

"O que dizemos ao Brasil e ao mundo é que a Jornada continua com seus trabalhos e preparações, já aconteceu isto em outra jornada, na Alemanha. Este será um belo momento, esperamos receber o novo papa aqui no Brasil pela primeira vez."

Dom Orani também afirmou que é "impossível" que não seja anunciado o um novo papa na época da Jornada Mundial da Juventude.

"O papa renuncia no dia 28 (de fevereiro) e há tempo para o conclave eleger um novo papa", afirmou.

O arcebispo do Rio de Janeiro também destacou o a surpresa causada pelo anúncio de Bento 16 na manhã desta segunda-feira.

"Claro que não sabíamos, não imaginávamos que seria uma renúncia", disse.

Direito canônico e saúde

O arcebispo do Rio de Janeiro iniciou seu pronunciamento sobre a renúncia de Bento 16 lembrando que, de acordo com o Direito Canônico, o papa tem o direito de renunciar ao cargo "de livre e espontânea vontade".

Dom Orani afirmou também que agradece "pela vida do papa Bento 16, agradece por ele ter escolhido a cidade para ser a sede da Jornada Mundial da Juventude".

"Ele enfrentou com muita coragem todas as crises, levou a Igreja a avançar no entendimento da própria fé. Creio que (seu pontificado) vai ser marcante para a história, seu trabalho e contribuição para a Igreja."

"Todos sabem que ele está doente, tem dificuldade de locomoção, sente as forças diminuindo. Ele mesmo comentou em sua declaração", afirmou o arcebispo.

Dom Orani se referia ao trecho da declaração de Bento 16, no qual o papa falou sobre "fortaleza da mente quanto do corpo, fortaleza que nos últimos meses se deteriorou em mim ao ponto de ter de reconhecer minha incapacidade de desempenhar adequadamente o ministério que me foi confiado".

Para o arcebispo, a renúncia de Bento 16 também pode ser visto como "um sinal, um exemplo para tantas pessoas agarradas a situações de poder". BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
alsorio de janeirorenúnciabento 16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.