Edwin Fontaine/Reuters
Edwin Fontaine/Reuters

Bento XVI aceita renúncia de bispo belga que admitiu abuso sexual

Roger Vangheluwe lamentou conduta em caso ocorrido há 25 anos, quando ainda não era bispo

AE-AP, Agência Estado

23 de abril de 2010 | 10h48

BRUXELAS - O bispo belga Roger Vangheluwe se afastou de seu posto nesta sexta-feira, 23, após reconhecer que havia abusado sexualmente de um menino. O religioso lamentou sua conduta, no caso ocorrido há 25 anos. Vangheluwe, de 73 anos, era bispo de Brujas desde 1984. Ele se afastou do cargo na primeira demissão episcopal na Bélgica desde que, nos últimos meses, veio à tona o escândalo envolvendo membros da Igreja Católica que abusaram de crianças em vários países.

"Quando ainda não era bispo e pouco depois, abusei de um menino", disse Vangheluwe em sua declaração. O religioso disse que o papa Bento XVI aceitou a renúncia. "Isso marcou a vítima para sempre. A ferida não cicatriza. Nem em mim nem na vítima", afirmou em sua declaração. Ele disse ter pedido perdão à vítima repetidas vezes. Vangheluwe deveria se aposentar no ano que vem.

A demissão foi anunciada hoje pelo arcebispo belga Andre-Joseph Leonard, em entrevista coletiva. A renúncia do bispo mostra que a Igreja Católica da Bélgica quer "decididamente virar a página sobre um (tema) muito doloroso", disse Leonard. O arcebispo qualificou Vangheluwe como um "grande irmão e um bispo dinâmico", mas disse que suas transgressões desconcertarão muitas pessoas.

Em sua homilia de Páscoa, Leonard se referiu aos escândalos de pedofilia ocorridos na Igreja Católica. Ele disse que no ano passado "a reputação dos líderes eclesiásticos tinha maior prioridade que a dos meninos que sofreram abusos".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.