Bento XVI: médico deve aconselhar mulher sobre aborto

O Papa Bento XVI pediu aos médicos para proteger as mulheres do pensamento de que o aborto pode ser uma solução para dificuldades sociais, financeiras ou problemas de saúde. O papa reafirmou a firme oposição da Igreja Católica ao aborto em um discurso realizado hoje aos membros da Academia Pontifícia para a Vida, o conselho de aconselhamento sobre bioética do Vaticano.

AE, Agência Estado

26 de fevereiro de 2011 | 16h58

O Papa argumentou que as mulheres são frequentemente convencidas por seus próprios médicos de que o aborto é uma escolha legítima e em alguns casos até um ato terapêutico para evitar que seus bebês sofram. Ao dizer que "o aborto não resolve nada", o papa pediu para os médicos não desistirem do dever de defender a consciência das mulheres. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.