Bento XVI nega ter sido pressionado a renunciar

O papa emérito Bento XVI negou hoje as especulações de que ele foi pressionado a renunciar, afirmando que sua decisão foi uma escolha livre e somente dele.

AE, Agência Estado

26 de fevereiro de 2014 | 16h33

As declarações do papa emérito foram divulgadas pelo jornal italiano La Stampa em meio a uma nova rodada de especulações sobre as razões que o levaram a deixar o comando da Igreja Católica, a primeira renúncia de um pontífice desde o século XV.

"Não há o mínimo de dúvida sobre a validade de minha renúncia ao ministério de Pedro. A única condição para a validade é a liberdade integral da minha decisão. As especulações sobre invalidez são simplesmente absurdas", escreveu Bento XVI em carta enviada ao correspondente do jornal La Stampa no Vaticano, Andrea Tornielli.

O pontífice emérito também defendeu sua decisão de continuar vestindo a batina branca de papa, dizendo que não tem outras roupas disponíveis. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
VaticanoBento XVIrenúncia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.