Bento XVI pede respeito à dignidade das crianças

O Papa Bento XVI pediu, na noite deste domingo, respeito à dignidade das crianças, "tanto as nascidos como as não nascidas", muitas das quais sofrem e são exploradas no mundo, e pediu a Deus que ajude os homens a conseguir esse objetivo.Durante a homilia da tradicional Missa do Galo, o Papa disse que Deus pede para "amar os pequenos, amar os fracos, respeitar as crianças".Bento XVI disse que "o menino de Belém dirige nosso olhar para todas as crianças que sofrem e são exploradas no mundo, tanto os nascidos como os não nascidos. Para as crianças que, como soldados, são introduzidos em um mundo de violência", aos que têm que mendigar, sofrem miséria e fome, aos "carentes de todo amor".O Papa pediu oração para "que o resplendor do amor de Deus acaricie" todas essas crianças e para que ajude os homens a fazer tudo o que estiver em suas mãos "para que se respeite a dignidade das crianças; que nasça para todos a luz do amor, da qual o homem tem mais necessidade de que as coisas materiais".O sinal de Deus é "a simplicidade", é "a criança", é que "Ele torna-se criança por nós, este é seu modo de reinar. Ele não vem com poder e grandiosidade externas", pois "não quer nos oprimir com a força, evita o temor de sua grandeza", acrescentou na homilia.Na Basílica de São Pedro, o Papa disse que Deus "pede nosso amor, por isso torna-se criança", e acrescentou que "se fez criança para que nós pudéssemos compreendê-lo, acolhê-lo, amá-lo".Através desse amor, "aprendemos espontaneamente a entrar em seus sentimentos, em seu pensamento e em sua vontade: aprendemos a viver com Ele e a praticar também com Ele a humildade da renúncia, que é parte essencial do amor".Bento XVI lembrou que a fé em seu conjunto se resume em um "único ato de amor que inclui a Deus e aos homens", traduzida nas palavras "amarás ao Senhor, teu Deus, com todo teu coração, com toda tua alma e com toda tua mente (...). Amarás a teu próximo como a ti mesmo".A tradicional Missa do Galo começou com o anúncio do nascimento de Jesus e, durante a cerimônia, um grupo de crianças fez uma homenagem de flores diante de uma imagem do Menino Jesus.O Papa disse que "Deus se fez dom por nós. Deu a si mesmo", e pediu aos fiéis que deixem que "isso entre" em seus corações, almas e mentes.Entre os presentes comprados e recebidos no Natal, não se pode esquecer do "verdadeiro presente: dar mutuamente algo de nós mesmos. Dar mutuamente nosso tempo" e abri-lo a Deus, pois assim "a agitação se apazigua, assim nasce a alegria e surge a festa", acrescentou.Concluída a missa, é tradição que as milhares de pessoas que vão à basílica contemplem no centro da Praça de São Pedro o Portal de Belém instalado diante do obelisco, que ocupa uma extensão de 400 metros quadrados, e a árvore de Natal, que chegou este ano da região italiana da Calábria (sul).O presépio da Praça São Pedro, que foi inaugurado hoje, tem nove figuras do colocado em 1842 na igreja romana de São Andrés della Vale por São Vicente Palotti, que ao longo dos anos foi se completando com outras.Bento XVI voltará amanhã à basílica vaticana para ler a Mensagem de Natal e dar a bênção Urbi et Orbi (à cidade de Roma e a todo o mundo).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.