Bento XVI volta a atacar o aborto e a eutanásia

O papa Bento XVI voltou a lembrar hoje a posição da Igreja Católica contra as leis pró-abortoe pró-eutanásia. O Pontífice fez essa lembrança no sermão dominical do Ângelus, pronunciado diante de milhares de fiéis reunidos na Praça de São Pedro do Vaticano neste domingo.O Bispo de Roma lembrou que hoje, dia 4, na Itália se celebra a Jornada da Vida e disse que esta é "obra de Deus" e "não pode ser negada a ninguém, nem ao pequeno e indefeso feto nem a quem apresenta graves incapacidades".Bento XVI também disse aos presentes para não caírem "no engano de pensar que se pode dispor da vida até poder interrompê-la com a eutanásia, mascarando-a com um véu de piedade humana".Depois, o papa se referiu à família, afirmando que ela "passa por uma profunda crise e tem que enfrentar vários desafios", razão pela qual, disse, "é necessário defendê-la, ajudá-la, protegê-la e valorizá-la em sua exclusividade irrepetível".Embora a obrigação de defender a família seja, "em primeiro lugar, da competência dos cônjuges", o Papa disse também que este é "um dever prioritário da Igreja e de toda instituição pública".Por isso, pediu "iniciativas pastorais e políticas que levem e conta as necessidades reais dos cônjuges, dos idosos e das novas gerações". No fim da cerimônia, Ratzinger cumprimentou os fiéis em várias línguas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.