Berberes temem perder representação política

Após ter papel fundamental na revolução que depôs Muamar Kadafi do poder, a oprimida minoria berbere da Líbia pensou que finalmente tinha ganhado voz. No entanto, uma nova determinação do governo provisório, que não lhe concedeu nem mesmo um ministério, provocou na comunidade amazigue - como os berberes se denominam - o medo de que a minoria seja outra vez banida da vida pública líbia. "Não discordamos do novo governo, mas queremos ser representados", afirmou Ali Shetwi, líder berbere.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.