Berlusconi abandona entrevista em programa de TV

O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi abandonou hoje a gravação de um programa durante a entrevista com uma jornalista da RAI porque, segundo ele, a repórter não o deixava responder o que queria. Berlusconi foi aos estúdios da RAI para gravar mais uma aparição na televisão durante a campanha eleitoral, desta vez uma entrevista à jornalista Lucia Annunziata no programa In mezz´ ora. Apesar de Berlusconi estar quase diariamente na TV, antes do programa pediu à jornalista que o deixasse falar de seu programa eleitoral. Annunziata começou entrevista com uma pergunta sobre a renúncia, ontem, do ministro da Saúde, Francesco Storace, por seu suposto envolvimento em um caso de espionagem política. Berlusconi reconhece que o sistema eleitoral italiano pode ser espionado e acusou "à esquerda" pelo fato ao mencionar eleições de 1996 quando, segundo ele, os votos foram manipulados. A entrevista foi tensa, e as perguntas giraram em torno da melhora econômica que as redes privadas de televisão controlados por ele tiveram durante seu mandato em detrimento das redes públicas. Berlusconi respondeu que o único conflito de interesses na Itália é o das "cooperativas vermelhas" as quais acusou de sonegar impostos e ajudar aos "partidos vermelhos". A jornalista ignorou a acusação e disse que, durante os cinco anos de seu Governo, a RAI manteve a audiência maior que a Mediaset, o grupo de Berlusconi, apesar de ao final desse período, ter tido menos receitas por publicidade que a rede privada do primeiro-ministro. A entrevista passou a uma discussão sobre o controle informativo da televisão pública, na qual Berlusconi acusou Annunziata, que pertenceu à direção da RAI, de ser "de esquerda". Encerrada a disputa, a jornalista perguntou sobre a estagnação da Itália, que depois dos cinco anos de Governo de Berlusconi não cresceu. Berlusconi atribuiu a situação "à esquerda" e aproveitou para anunciar propostas de seu Governo caso vença as eleições. A jornalista o interrompeu, momento no qual Berlusconi a acusou de "estar sendo agressiva" com ele e pediu que o deixasse falar de seu programa eleitoral. A jornalista disse que era seu papel elaborar as perguntas, e Berlusconi respondeu que ou falaria sobre o que queria ou deixaria o programa. Em seguida, Annunziata disse que o primeiro-ministro não está habituado com perguntas de jornalistas, momento no qual Berlusconi se levantou, a cumprimentou e disse "a senhora ilustrou bem como se comporta uma pessoa que é de esquerda e que tem preconceitos". Depois de dizer à jornalista que ela "deveria sentir vergonha", Berlusconi saiu do estúdio e, fora de cena gritou: "e depois dizem que controlo a RAI".

Agencia Estado,

12 Março 2006 | 20h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.