Berlusconi admite que pode adiantar eleições na Itália

Premiê afirma que se afastará do cargo caso consiga chegar ao fim do mandato, em 2013

Agência Estado

23 de dezembro de 2010 | 15h15

ROMA - O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, admitiu nesta quinta-feira, 23, que podem ser necessárias eleições antecipadas, caso sua maioria estreita no Parlamento não permita avançar no governo. Berlusconi disse que tomará essa decisão em janeiro.

 

Em uma conversa com jornalistas, Berlusconi disse que, caso consiga terminar seu mandato em 2013, ele preferirá se afastar do posto e deixar outros líderes conservadores no poder.

 

O premiê de 74 anos disse que o trabalho é sacrificante e que está convencido de que há novos líderes conservadores "absolutamente capazes de se tornar primeiro-ministro".

 

Na semana passada, Berlusconi superou uma moção de censura, após dois anos de escândalos pessoais e brigas políticas. Ele disse também que pretende impedir que nenhum de seus cinco filhos entre na política. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ItáliaBerlusconieleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.