Berlusconi defende-se na Justiça italiana

O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, prestou um dramático depoimento em um tribunal de Milão nesta terça-feira, para se defender de acusações de corrupção. Ele é acusado de subornar juízes durante a disputa judicial pela compra de uma estatal, na década de 80.Berlusconi disse, para uma sala de audiências lotada, que a principal testemunha de acusação, Stefania Ariosto, é uma mentirosa compulsiva, chamando-a de "mitômana". Berlusconi prometeu retornar ao tribunal na semana que vem - mas o julgamento pode terminar antes disso, já que o Parlamento italiano deve aprovar, na quarta-feira, uma lei garantindo ao primeiro-ministro imunidade judicial durante seu mandato.O primeiro-ministro reclama que os tribunais de Milão o estariam "perseguindo". Ele já faltou a várias audiências judiciais, alegando compromissos de governo. Desta vez, deu um longo depoimento, mas disse que estava fazendo isso tarde demais para reverter críticas.Não houve perguntas. Berlusconi afirmou que só aceita ser interrogado em seu gabinete de primeiro-ministro. Declarou também que o processo contra ele era como o julgamento de um assassinato em que faltam os componentes principais: "Aqui não há corpo, não há arma, não há motivação", disse ele. "Eu não sei como este julgamento chegou a este ponto, ou que prova ou acusações existem."As informações são do site da BBC em português. Para ler o noticiário da BBC, que é parceira do estadao.com.br, clique aqui.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.