Berlusconi discute reforma eleitoral com líder democrata

O ex-premiê italiano Silvio Berlusconi, afastado do Parlamento no ano passado após ser condenado por fraude fiscal, se encontrou neste sábado com Matteo Renzi, líder do Partido Democrata (PD), a principal legenda da coalizão que hoje comanda a Itália. Os dois ficaram cerca de duas horas reunidos e concordaram em apoiar reformas para tornar o país mais "governável".

Agência Estado

18 de janeiro de 2014 | 19h00

Berlusconi recebeu algumas vaias ao chegar à sede do PD em Roma, e alguns manifestantes atiraram ovos em seu carro. O encontro causou polêmica, pois Berlusconi, membro da conservadora legenda Forza Itália, sempre se opôs aos políticos do PD, considerando-os herdeiros do comunismo italiano. Matteo Renzi também desafiou críticos dentro do partido para "cortejar" o empresário em uma tentativa de apoio. Mesmo o atual primeiro-ministro, Enrico Letta, se mostrou contra a proximidade.

Berlusconi prometeu que seu partido de centro-direita apoiará a lei que pretende alterar o sistema eleitoral do país, uma reforma que é adiada há anos. Segundo Renzi comentou a jornalistas na saída da reunião, Berlusconi disse que trabalharia para implementar reformas que favoreçam a governabilidade e deem espaço a um sistema de dois partidos que elimine o poder de chantagem das legendas menores no

Parlamento.

Berlusconi também teria dito a Renzi que eles deveriam unir forças para alcançar "a consolidação dos grandes partidos". Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ITÁLIABERLUSCONI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.