Berlusconi diz que julgamento por exploração sexual não o preocupa

Premiê foi indiciado sob acusação de ter pago para ter relações sexuais com uma menor de idade.

BBC Brasil, BBC

16 de fevereiro de 2011 | 13h33

O primeiro-ministro e a dançarina negam as acusações

O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, disse nesta quarta-feira que não está preocupado com o julgamento a que será submetido por supostamente ter pago para ter relações sexuais com uma menor de idade.

"Não me preocupam em nada (as acusações)", disse Berlusconi, que nega ter dado dinheiro a Karima El-Mahroug, conhecida como Ruby, para ter relações sexuais com ela. A dançarina, hoje com 18 anos, teria participado de festas na casa do premiê quando tinha 17.

Essas foram as primeiras declarações do premiê desde que foi anunciado que ele irá responder na Justiça pelo caso. Berlusconi foi indiciado na terça-feira, e o julgamento, conduzido por três juízas, terá início em 6 de abril em Milão.

O premiê também responderá por abuso de poder em relação a uma suposta tentativa de livrar a mesma menor da prisão depois que ela foi detida por furto.

Ele alega que as acusações contra ele têm motivações políticas.

Ruby também nega ter tido relações sexuais com o premiê e declarou que "ele é apenas solitário, um pouco como eu". Ela diz que recebeu 7 mil euros (cerca de R$ 15,7 mil) do premiê, mas como um presente.

Batalhas legais

Relações de prostituição em geral não são punidas na Itália, mas, no caso de menores de idade, podem resultar em penas de prisão.

Se condenado no caso, Berlusconi pode ser sentenciado a até 15 anos de detenção.

As acusações contra Berlusconi motivaram protestos de centenas de mulheres em cidades italianas no último domingo. Nas passeatas, elas pediram a renúncia de Berlusconi, alegando que ele ofendeu as mulheres e que prejudica a imagem da Itália.

O caso Ruby é mais uma entre diversas batalhas legais do premiê, que também enfrenta processos por fraude fiscal envolvendo seu grupo de comunicações, o Mediaset, e a acusação de ter pago para que um advogado mentisse durante julgamentos em processos por corrupção nos anos 90.

Mas esta é a primeira vez que ele será julgado por sua conduta pessoal, relata o correspondente da BBC em Roma Duncan Kennedy.

Em entrevista coletiva nesta quarta-feira, o premiê disse que não comentará mais o caso, "por amor" ao seu país.

Ele negou a possibilidade de antecipar as eleições na Itália e disse que governará até o final do seu mandato, em 2013.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.