Alexei Nikolsky/AP
Alexei Nikolsky/AP

Berlusconi e dirigentes da Mediaset são investigados por fraude fiscal

Promotoria de Roma apura delito de evasão fiscal em 2003 e 2004 em rede do premiê

Efe

15 de outubro de 2010 | 08h24

ROMA - O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, seu filho Piersilvio e outros dirigentes do colosso televisivo Mediaset, são investigados por um suposto delito de fraude fiscal, informou nesta sexta-feira, 15, a imprensa italiana.

 

Segundo tais informações, a Promotoria de Roma abriu a investigação por causa de um suposto delito de evasão fiscal nos exercícios de 2003 e 2004 da Redes Televisivas Italianas (RTI), uma sociedade que nesses anos tinha sede na capital italiana e era controlada totalmente pela Mediaset, que pertence à família Berlusconi.

 

O inquérito surge das investigações realizadas em Milão sobre as ilegalidades cometidas pela Mediaset na compra e venda dos direitos de transmissão de filmes americanos sob a suspeita de um aumento artificial do preço real destes para desviar dinheiro do fisco para contas no estrangeiro.

 

Desta investigação surgiu uma suposta fraude fiscal na RTI, mas como tem sede em Roma decidiu se transferir a documentação para a Promotoria da capital italiana.

Tudo o que sabemos sobre:
BerlusconiItáliaMediaset

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.