Berlusconi e filho são convidados a depor em Roma

O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, e seu filho mais velho, Pier Silvio, foram convidados a comparecer à Procuradoria de Roma, onde serão questionados a respeito de acusações de evasão fiscal e desrespeito às normas tributárias da Itália, envolvendo a compra e venda de direitos de exibição de filmes, operações feitas pelo conglomerado do magnata da mídia, a Mediaset.

AE-AP, Agência Estado

15 de outubro de 2010 | 18h03

A empresa afirmou hoje que as acusações de evasão fiscal e violação das normas tributárias não têm fundamento. A Mediaset inclui as três maiores emissoras privadas de televisão do país. A empresa afirma que as aquisições foram feitas "pagando o valor de mercado" dos filmes, e que todos os impostos pagos pela empresa seguiram "rigorosamente" o código tributário.

O advogado de Berlusconi, Nicolò Ghedini, disse, em comunicado, que o premiê e seu filho "desconhecem totalmente" as acusações. Berlusconi e seu filho Pier Silvio, que é vice-presidente da Mediaset, deverão comparecer à sede da procuradoria de Roma no dia 26 de outubro. Tanto Ghedini quanto a Mediaset afirmam que a investigação em Roma é redundante, porque replica uma investigação já em curso movida pelos procuradores de Milão, sobre os mesmo motivos.

Os procuradores romanos, contudo, abriram a investigação porque detectaram sinais de evasão fiscal na Mediaset em 2003 e 2004. A sede do conglomerado fica na capital italiana. Os procuradores milaneses investigam se ocorreram irregularidades nas compras e vendas de direitos de exibição de filmes, operações que podem ter criado fundos ilícitos que não pagaram impostos. Um partidário de Berlusconi no Parlamento, Fabrizio Cicchitto, denunciou a investigação como "política".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.