Berlusconi faz declaração positiva sobre Mussolini

O primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi declarou a um jornal de seu país que o ditador fascista Benito Mussolini nunca matou ninguém e enviava pessoas de férias para exílios internos. As declarações são atribuídas ao premier da Itália pelo jornal Voce di Rimini em uma entrevista concedida por Berlusconi a dois jornalistas. "Mussolini nunca matou ninguém. Mussolini mandava gente de férias para exílios internos", teria dito Silvio Berlusconi. O comentário veio à tona quando os jornalistas perguntaram ao premier sobre a ditadura de Saddam Hussein no Iraque. A declaração causou ampla consternação. O porta-voz do partido Forza Italia, ao qual pertence o primeiro-ministro, disse que "estas palavras têm que ser confirmadas". Porém, entidades judaicas italianas já manifestaram preocupação com a suposta declaração de Berlusconi. "O regime fascista (italiano) não teve campos de extermínio para judeus, mas certamente contribuiu para criá-los", disse o presidente da comunidade judaica italiana. A perseguição aos judeus italianos começou em 1938, quando o regime de Mussolini implementou leis raciais. Em 1943, os soldados alemães ocuparam o norte e o centro da Itália. Quase 7 mil judeus foram deportados e, destes, 5.910 fora assassinados. Mussolini governou a Itália de 1922 a 1943, quando foi derrubado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.