Berlusconi não comparece em primeira sessão de julgamento por suborno

Ex-premiê italiano é acusado de pagar 3 milhões de euros em 2008 para senador mudar de partido

O Estado de S. Paulo,

11 de fevereiro de 2014 | 11h46

ROMA - O ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi não compareceu nesta terça-feira, 11, na primeira sessão do julgamento no qual é acusado de subornar o senador Sergio De Gregorio para que o parlamentar mudasse de partido e contribuísse para a queda do governo de Romano Prodi em 2008.

Os advogados de Berlusconi argumentaram a existência de irregularidades nas notificações ao ex-premiê, mas o Tribunal de Nápoles rejeitou a hipótese e declarou à revelia ao considerar que sua ausência era injustificada. O julgamento deve continuar na quarta-feira.

O tribunal quer esclarecer se Berlusconi pagou 3 milhões de euros ao senador De Gregorio para que ele passasse ao partido do ex-premiê. No processo, o empresário e ex-diretor do jornal Avanti, Valter Lavitola, é acusado de ser o mediador do pagamento.

De Gregorio confessou ter recebido o dinheiro para deixar o partido Itália dos Valores (IDV) e foi condenado a oito meses de prisão. Em 2008, seu voto e o de outros senadores, que também abandonaram a maioria no governo, acabaram produzindo a queda do Executivo de Prodi durante uma votação no Senado.

Neste julgamento, Berlusconi não poderá contar com nenhum tipo de imunidade ou do chamado "legítimo impedimento", já que deixou de ser parlamentar após ser expulso do Senado - quando foi aplicada a lei que impede os condenados a mais de dois anos de prisão de atuarem no Parlamento./ EFE

 
Tudo o que sabemos sobre:
Silvio BerlusconiItáliasuborno

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.