Berlusconi pede desculpas à sua mulher após cantada pública

O ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi emitiu nesta quarta-feira um pedido público de desculpas à sua mulher, Veronica Lario. A nota foi uma resposta a uma carta aberta publicada em um dos principais jornais do país em que Veronica reclamava de comentários machistas feitos pelo marido. Após ter se recusado a se desculpar em particular e ver o caso exposto publicamente, Berlusconi emitiu um pedido escrito de desculpas dizendo: "Então me perdoe, eu imploro, e aceite esta demonstração pública do meu orgulho particular cedendo à sua raiva como um ato de amor". De acordo com Veronica, segunda mulher de Berlusconi e mãe de três de seus filhos, seu marido disse a mulheres em um jantar durante uma premiação na televisão: "Se eu não fosse casado, casaria com vocês agora mesmo", e "com vocês eu iria a qualquer lugar". Veronica disse em sua carta que os gracejos danificavam sua "dignidade" e que ela enfrentou Berlusconi em público, em parte, para ensinar a seus filhos a maneira como as mulheres devem ser tratadas. Veronica disse na carta que só decidiu levar a briga conjugal a público porque não conseguiu que ele se desculpasse particularmente. "São afirmações que julgo nocivas à minha dignidade", escreveu Veronica, ex-atriz. "Ao meu marido e ao homem público, peço, portanto, um pedido público de desculpas, por não ter recebido um reservadamente." A carta fica ainda mais constrangedora para Berlusconi porque Veronica decidiu publicá-la no La Repubblica, principal jornal de esquerda do país, uma voz sempre crítica ao líder da oposição de centro-direita, que também é o homem mais rico da Itália. A carta ocupou toda a parte superior da primeira página. Veronica, 50 anos, disse ter sempre tentado evitar o "conflito conjugal", mesmo quando tinha razão. Mas Berlusconi, 70 anos, agora não deixou escolha, afirmou. "Esta linha de conduta tem um só limite, minha dignidade como mulher. Hoje para minhas filhas, já adultas, o exemplo de uma mulher capaz de defender sua própria dignidade nas suas relações com homens assume uma importância particularmente significativa", escreveu ela. Ela disse que, além de ajudar as filhas Barbara e Leonora, contrapor-se publicamente a Berlusconi serve de lição também para o filho Luigi, "para que nunca esqueça de manter entre seus valores fundamentais o respeito pelas mulheres". Gafes anterioresEssa não é a primeira vez que Berlusconi se mete em encrenca por causa de piadas do tipo. Em outubro de 2002, em entrevista coletiva ao lado do primeiro-ministro da Dinamarca, Anders Fogh Rasmussen, Berlusconi afirmou que seu colega era "o primeiro-ministro mais bonito da Europa". "Ele é tão bonito que estou até pensando em apresentá-lo à minha mulher", acrescentou, rindo. Em 2005, cometeu outra gafe ao dizer, em tom de brincadeira, que usou seu charme para convencer a presidente da Finlândia a aprovar que a Itália se tornasse sede de uma agência da União Européia. "Tive de usar todas as minhas táticas de playboy, embora não as usasse havia algum tempo", disse ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.