Berlusconi poderia ter ganho sem reforma eleitoral, diz jornal

A coalizão conservadora Casa da Liberdades, de Silvio Berlusconi poderia ter ganho as recentes eleições italianas se o governo não tivesse reformado a lei eleitoral, publica o jornal La Repubblica neste sábado. A publicação baseia sua hipótese em uma simulação realizada pelo professor de Ciências Políticas da Universidade de Roma Antonio Agosta, que diz que, "como toda as simulações, esta também deve ser pega com pinças". Segundo Agosta, com o velho sistema eleitoral (que combinava os sistemas proporcional e majoritário), a coalizão de Berlusconi teria conquistado no Congresso 330 cadeiras, contra 299 da União. Já no Senado, a coalizão conservadora teria ganho 159 cadeiras, contra 155 da aliança de centro-esquerda. A Itália votou com uma nova lei eleitoral, aprovada quatro meses antes a pedido do primeiro-ministro Silvio Berlusconi e que representava o retorno ao sistema proporcional. A reforma foi muito criticada pela oposição, pois o sistema pune os partidos pequenos, que são maioria na coalizão de centro-esquerda União.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.