Berlusconi quer observadores da ONU na eleição

O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, garantiu nesta quinta-feira que deveria haver observadores da ONU nas eleições de domingo e segunda-feira, para evitar "fraudes" por parte da oposição de centro-esquerda liderada por Romano Prodi. O chefe do Executivo respondeu a um repórter que perguntou se, como sugeriram alguns representantes da maioria conservadora, há necessidade de observadores. "Devem vir para nos defender destes senhores, que são especialistas em fraudes, com todos os jornais a seu favor, com as televisões que se comportam como todos podem ver", disse Berlusconi, dono das três principais televisões privadas do país. O primeiro-ministro acrescentou que "precisamos deles porque, se isto continuar assim, quem sabe o que vão nos preparar (os representantes da oposição)". As declarações do primeiro-ministro tiveram resposta imediata do líder da oposição, Romano Prodi. "Berlusconi controla tudo, que fraudes pode temer?", ironizou. A representante do partido da oposição Democratas de Esquerda (DS), Beatrice Magnolfi, considerou "ridículo" e "desconcertante" o pedido do primeiro-ministro. "Faz pensar no mecanismo psicológico da ´projeção´, que consiste em ver nos outros os aspectos característicos da própria personalidade", acrescentou, com ironia. A agitada campanha eleitoral italiana termina na sexta-feira para permitir que os eleitores reflitam antes de votar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.