Stefano Rellandini /Reuters
Stefano Rellandini /Reuters

Berlusconi rejeita reconhecimento do Estado palestino na ONU

Declaração foi feita durante entrevista coletiva conjunta com Benjamin Netanyahu

estadão.com.br,

13 de junho de 2011 | 19h39

ROMA - O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, rejeitou o reconhecimento de um Estado palestino pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) e insistiu que a paz deve acontecer por meio de negociações. As declarações foram feitas durante uma visita do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, à Itália. Os dois primeiros-ministros deram uma entrevista coletiva conjunta nesta segunda-feira, 13, após a assinatura de vários acordos bilaterais entre a Itália e Israel.

 

Veja também:

especial As disputas territoriais no Oriente Médio

 

O governo israelense lançou uma ofensiva diplomática na Europa contra a posição dos palestinos, que pretendem pedir a adesão de seu Estado à ONU em setembro, durante a Assembleia Geral.

 

Berlusconi destacou que não acredita que uma solução unilateral possa ajudar a alcançar a paz. "Acredito que a paz só possa ser alcançada com um esforço comum, isto é, com negociações", afirmou o primeiro-ministro da Itália.  Já o primeiro-ministro israelense disse que a Itália é um dos países mais próximos a Israel na Europa, mas destacou que seu país não tem um "melhor amigo".

 

Netanyahu ressaltou que a paz não pode ser imposta por países estrangeiros ou pela ONU. Ele considera que esse tipo de atitude viola acordo anteriores e exige que Israel endureça sua relação com a Palestina, o que torna a paz ainda mais difícil.

 

"A paz exige um compromisso mútuo. Exige compromisso dos palestinos e dos israelenses. Nós estamos preparados para fazer isso, mas é preciso de uma negociação", disse Netanyahu. Com AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.