Tony Gentile/Reuters
Tony Gentile/Reuters

Berlusconi tenta esvaziar acusação

Premiê sorri na primeira entrevista após a Justiça ter acatado pedido para que ele seja julgado por corrupção de menores e abuso de poder

Andrei Netto, O Estado de S.Paulo

17 de fevereiro de 2011 | 00h00

O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, quebrou ontem 24 horas de silêncio e comentou pela primeira vez a decisão da Justiça de Milão de levá-lo ao banco dos réus em 6 de abril, em um processo por abuso de poder e exploração sexual de menor. Em breve declaração feita em uma entrevista coletiva, Il Cavaliere reduziu a importância da ameaça jurídica: "Não estou preocupado de modo nenhum".

Berlusconi abordou o assunto durante uma entrevista coletiva da qual participou com o ministro da Economia, Giulio Tremonti - a personalidade política de centro-esquerda mais popular do país, segundo pesquisas de opinião.

Questionado sobre se os problemas com a Justiça não ameaçavam a candidatura do banqueiro italiano Mario Draghi à presidência do Banco Central Europeu, o chefe de governo retrucou: "Não falarei sobre isso por amor ao meu país. Mas posso dizer uma coisa: não estou preocupado de modo nenhum".

Ao fazer as declarações, Berlusconi sorria. Além disso, o premiê afirmou, com a expressão latina "compos sui", que o jornalista que o questionou sobre o caso não era "são de espírito".

Ontem, o jornal La Repubblica publicou reportagem afirmando que Berlusconi conhecia a idade da prostituta marroquina Karima el-Mahroug, conhecida como Ruby "Rouba Corações" , que, segundo a Promotoria de Milão, tinha 17 anos na época em que participou de orgias com o premiê. Segundo a acusação, Ruby também foi beneficiada por Berlusconi quando, depois de ser presa, em 2010, foi liberada após a intervenção do premiê.

O Ministério Público de Milão pediu o "julgamento imediato" de Berlusconi por envolvimento com prostituição de menores e abuso de autoridade, que foi acatado pela Justiça italiana. Segundo a investigação, a brasileira Iris Berardi também teria participado das festas do premiê quando era menor de idade.

A repercussão dos problemas judiciais de Berlusconi ganha força na Europa. O jornal britânico Financial Times chegou a publicar editorial com o título "Arrivederci, Silvio".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.