Tamir Kalifa/The New York Times
Tamir Kalifa/The New York Times

Bernie Sanders declara apoio formal a Joe Biden

O senador democrata disse que estava pedindo a todos os americanos que apoiassem seu colega de partido, assim como ele

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de abril de 2020 | 15h30

WASHINGTON - O ex-pré-candidato democrata na corrida à Casa Branca Bernie Sanders, que abandonou a disputa na semana passada, anunciou na tarde desta segunda-feira, 13, seu apoio formal à campanha do ex-vice-presidente Joe Biden, que deverá enfrentar o republicano Donald Trump nas eleições de novembro. 

Em uma decisão que já era esperada, o senador de Vermont disse que estava pedindo a todos os americanos que apoiassem seu colega de partido, assim como ele. Sanders fez um evento ao vivo em sua conta oficial no Twitter, com a presença virtual de Biden, para declarar seu apoio.

"Joe, eu sei que há uma enorme responsabilidade em seus ombros agora, e é imperativo que todos nós trabalhemos juntos. Precisamos nos unir para derrotar o presidente mais perigoso na história moderna", afirmou Sanders, citando o surto de coronavírus como uma razão para o partido se reunir. "Seu endosso significa muito, muito para mim", respondeu Biden.

Sua decisão demonstrou um forte contraste com a de 2016, quando o senador esperou até às vésperas da Convenção Nacional Democrata (em julho) para declarar apoio a então indicada pelo partido, Hillary Clinton.  

Antes que a pandemia interrompesse a disputa primária dos democratas e a migrasse somente para o campo virtual, Biden construiu uma ampla vantagem de delegados contra Sanders, levando o senador a declarar na semana passada que não via caminho viável para a indicação.

Mesmo assim, ainda não estava claro quando Sanders, que é especialmente popular entre os jovens eleitores liberais, se uniria a Biden, cujo apoio vem principalmente dos antigos moderados do partido.

De olho os progressistas

Mesmo antes do apoio de Sanders, a campanha de Biden já havia começado a se aproximar de grupos progressistas centrados em questões como mudança climática e justiça racial, numa tentativa aplacar a antiga tensão entre os campos moderado e progressista dentro do partido.

Trump, por sua vez, tem usado as mídias sociais para tentar manter os apoiadores de Sanders longe de Biden, sugerindo que o senador foi expulso pelo establishment democrata.

Com o distanciamento social de amplo efeito, Biden foi forçado a mudar a maior parte de sua campanha para eventos virtuais e viu como a pandemia global relegou a corrida presidencial de 2020 para segundo plano.

O apoio de Sanders lhe dá uma sacudida de energia e atenção no momento em que sua campanha poderia usá-lo. /REUTERS, AE e W. POST

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.